segunda-feira, 24 de agosto de 2009

A compreensão de ética em Santo Agostinho

No presente contexto, a ética tornou-se um tema privilegiado entre nós, em virtude de diversos acontecimentos, tanto no campo como no social. Porém, atualmente, um outro debate também chama a atenção para uma discussão sobre a conduta humana, ou seja, em sociedade pluralista como as atuais, onde há crentes convictos de sua fé e não-crentes laicizas para quem a religião é um obstáculo para felicidade racional das pessoas é comum que se encontrem pontos de dissenso a cerca de questões éticas. O presente trabalho não visa chegar a premissas conclusivas do debate sobre a ética entre crentes e não-crentes, que se pretendo é juntar-se a outros no sentido de contribuir na discussão e na reflexão critica. Deste modo, o objetivo principal deste trabalho é o de analisar em duas importantes obras de Santo Agostinho, “O Livre Arbítrio” e as “Confissões”, as questões por ele apresentadas. Segundo Altaner (1990.p,434), Agostinho foi o maior filósofo da época patristica, além do mais importante e influente teólogo da Igreja em geral. Deste modo, justifica-se o estudo no referido autor, pois Santo Agostinho escreveu em 388/395 e, na qual,Agostinho contraria a ideia dos maniqueus dos dois princípios, o princípios de Bem e do Mal, pois deste modo o homem não é livre nem responsável pelo mal que faz. Agostinho procura demonstrar que a nossa conduta, o poder de agir como queremos, é uma decisão soberana, um arbitro. Nesta obra a ética agostiniana caracteriza-se pela formulação de uma explicação de como pode existir o mal se tudo vem de Deus que é bom. Em seguida, na obra “Confissões”, escrita no ano 400, Agostinho esboça uma ética harmonizada com os preceitos morais cristãos. Entretanto, se para os gregos o homem bom é aquele que sabe e conhece, para Agostinho o homem bom é aquele que ama aquilo que deve amar.



RAMIRES, Luciano da Rosa; VASCONCELLOS, Manuel Luis Cardoso



Retirado de: http://www.ufpel.tche.br/cic/2007/cd/pdf/CH/CH_01266.pdf

32 comentários:

  1. Entende-se de Ética como um dos mecanismos de regulação das relações sociais do homem que visa garantir a coesão social e harmonizar interesses individuais e coletivos, embora esse conceito tenha sido retomado e ampliado ultimamente na sociedade. Na atualidade, vivenciamos uma sociedade pluralista onde coexistem diferentes compreensões e interpretações sobre princípios e valores ético-sociais.
    Neste texto, Agostinho ratifica a idéia central de Ética, onde a visão geral é a conduta decente e harmônica.
    Beijos,
    Patricia Tavares

    ResponderExcluir
  2. Eu acho muito importante e fundamental a ÉTICA em tudo na vida. Concordo com Santo Agostinho tanto no "Livre Arbítrio" quando ele demonstra que nosso modo de comportamento é livre e soberano (eu complemento que devemos respeitar o direito dos outros) e nas "Confissões" quando êle harmoniza a ética com os preceitos morais cristãos(complemento que devemos respeitar tambem as outras religiões).

    João Lavigne

    ResponderExcluir
  3. Não concordo com o ponto de vista de Sto Agostinho quanto ao nosso poder de decisão entre o Bem e Mal, pois temos plena consciencia do que é certo ou errado e devemos escolher o que é certo e não o que é conveniente. Quanto a "Confissões" acredito plenamente que homem bom é aquele que faz o bem e que ama os que estão a seu lado.

    Ana Lucia Lavigne

    ResponderExcluir
  4. Na minha opinião a ética é importante para nossa vida, mas não a ética que criamos ou a que achamos conveniente e sim nos guiar por um Ser maior que nós, Deus, que deve nos orientar como trilhar o nosso caminho, através da bíblia (Agostinho procura demonstrar que a nossa conduta, o poder de agir como queremos, é uma decisão soberana).

    Virginia Lavigne

    ResponderExcluir
  5. Para mim a mensagem mais forte deixada por este texto foi a do livre arbítrio. Este poder da ESCOLHA é tão soberano e tão importante que define a nossa vida. Escolher significa renunciar a alguma coisa e consequentemente significa perder por um lado e ganhar por outro. As nossas escolhas, quando feitas com o coração, fazem o caminho de nossas vidas trilharem o caminho do bem do amor. Acredito e espero sinceramente que esta tarefa aparentemente simples tenha feito vocês, adolescentes, refletirem sobre as escolhas que fizeram, fazem e farão na vida de vocês. Sucesso e parabéns pela reflexão que nos proporcionaram!!!!
    Ana Carolina Lavigne

    ResponderExcluir
  6. Santo Agostinho grande filósofo e grande teólogo, é um exemplo de conversão, em seus escritos podemos observar toda a riqueza do toque de Deus na vida dos Homens e todo arrependimento de uma vida sem Deus.


    Goreti Andrade

    ResponderExcluir
  7. Nossas escolhas devem ser baseadas entre o bem e o mal, qual queremos como caminho em nossas vidas. Santo Agostinho coloca o livre arbítrio como ponto soberano da nossa escolha, devemos decidir para onde queremos ir.
    Outro ponto vista é decidir através da nossa fé e convicções qual o caminho tomar: do amor, caridade, ética e justiça social.
    Os jovens deveriam tomar como exemplo a conduta dos pais e educadores para suas decisões e a palavra de Jesus como caminho, o amor, a verdade e vida.
    Márcia Tavares

    ResponderExcluir
  8. A vontade é livre, e pode querer o mal, podendo agir contra a vontade de Deus.Deus não é o criador do mal.O mal não é um ser, mas sim a ausência de um outro ser, o bem. Agostinho tenta explicar de que a origem do mal esta no Livre-Arbítrio concedido por Deus. Deus em sua perfeição, quis criar um ser que pudesse ser autônomo e assim escolher o bem de forma voluntária. O homem, então, é o único ser que possuiria as faculdades da vontade, da liberdade e do conhecimento. Ele é um ser capacitado a escolher entre algo bom e algo mal. Seria maravilhoso se, nos dias de hoje, os homens optassem, exclusivamente, "pelo bem".
    José Carlos

    ResponderExcluir
  9. Texto bem feito e como sou católica e acredito em todos os santos tenho muita fé em Sto. Agosinho. Me trouxe muito mais fé do que já possuia.

    Katia Silveira

    ResponderExcluir
  10. No seio social a ética é elemento tão essencial ao ser humano quanto o ar que respira. É a "consciência moral" que avalia e julga as ações do homem para saber se são boas ou más, certas ou erradas, justas ou injustas. Sendo assim, a ética independe da religião mas está ligada aos valores morais adquiridos. Tia Nena

    ResponderExcluir
  11. Na minha opinião negar o livre arbítrio do homem é o mesmo que coloca-lo como marionete de Deus. Tudo o que ele pensar em fazer perderia o sentido uma vez que ele estivesse predestinado a passar por aquela situação e a tomar a decisão imposta por Deus. Penso que sou livre para agir de acordo com minha consciência e meus princípios....um beijo da tia....Vera Leal

    ResponderExcluir
  12. Texto maravilhoso!!!
    Estão de Parabéns..
    =)

    ResponderExcluir
  13. Santo Agostinho, sem dúvidas foi um dos maiores responsáveis pelo desenvolvimento do cristianismo no Ocidente. :)

    Regina Oliveira

    ResponderExcluir
  14. otimo texto, esclarece que santo agostinho foi responsavel pelo desenvolvimento.
    estao de parabens

    ResponderExcluir
  15. sem comentarios
    otimo texto que nos ensina o que seria a verdadeira ética (ensinada por São Agostinho)

    ResponderExcluir
  16. Santo Agostinho foi um grande filosofo, teologo, escritor e doutor da igreja católica. Uma figura de grande importÂncia histórica e filosófica que merece ser sempre lembrada.
    Parabéns pelo Blog !
    bjOoS

    Amandiinha

    ResponderExcluir
  17. é realmente preciso desse tipo de atitude, é bem legal, e interresante, gostei muito dessa atitude =)
    parabéns pra vocês...

    ResponderExcluir
  18. Gostei muito da matéria!
    Parabéns pela iniciativa

    ResponderExcluir
  19. ADMIRO MTO SANTO AGOSTINHO POIS CONCORDO EM VÁRIOS ASPECTOS NA FILOSOFIA DE SANTO AGOSTINHO, PRINCIPALMENTE A QUESTÃO DO LIVRE ARBITRIO ONDE O HOMEM TEM O PODER DE ESCOLHER ENTRE O BEM E O MAL.ESSA TEORIA FOI RESPONSÁVEL POR QUEBRAR VÁRIOS PARADIGMAS DO PERIODO MEDIEVAL, ONDE SE ACREDITAVA NA PREDESTINAÇÃO.
    ASS: VICK

    ResponderExcluir
  20. MtO bOm blOg,
    sucessO :DDDD

    BjOs
    Jéssicka

    ResponderExcluir
  21. Ser Santos é ser humilde, ser obediênte, amar o proximo de coração amar o Senhor teu Deus de todo o teu coração, viver a palavra de Deus no coração e na prática. E isso Santo Agostinho mostrou em toda sua vida.

    ResponderExcluir
  22. Parabéns pelo blog e pela iniciativa de falar sobre uma pessoa tão importante para a igreja.

    O Blog está ótimo mas vcs podem melhorar em alguns aspectos, como colocar mais fotos, curiosidades sobre Santo Agostinho e detalhe sobre suas obras. Boa sorte no trabalho :)

    ResponderExcluir
  23. Santo Agostinho é um espírito iluminado. Deixou heranças espirituais, filosóficas e morais inestimáveis.

    Luciene

    ResponderExcluir
  24. Concordo que a escolha do bem e do mal cabe ao homem e seu livre arbitrio.

    ResponderExcluir
  25. gostei muito da materia parabens!!!!

    ResponderExcluir
  26. Vejo que a ética é importante por nos nortear. A ética conduz o homem para traçar sua conduta, seja para o bem ou para o mal. Deus nos deu o livre arbitrio de decisão e só nós podemos decidir se devemos veredar pelo caminho do bem o do mal.

    ResponderExcluir
  27. Incentive os comentários e a leitura do texto que está muito bom.
    Parabéns.

    Josimar

    ResponderExcluir
  28. É muito interessante a abordagem deste temas, quando cria-se a oportunidade para o adolescente conhecer e penetrar, através da pesquisa, e da leitura, na vida daqueles que foram exemplo, e deixaram um grande legado para a humanidade.
    Tia Tânia Mara

    ResponderExcluir
  29. Já avaliei.
    Prof. Josimar.

    ResponderExcluir